23 January 2012


Estou a começar a apreciar o que são férias. Ainda falta um exame para isto ficar arrumado de vez (espero eu!), mas de certa forma vai poder ser estudado com calma e tempo que ainda faltam umas longas duas semanas e meia. A minha cabeça estava super preenchida com demasiada economia! Se bem que o pão-nosso de cada dia nos telejornais e internet e etc. é tudo à volta do mesmo.
Começo a ficar cansada de ouvir as mesmas coisas, a televisão cada vez menos se liga (já para não falar no dinheiro que vamos todos ter de gastar para podermos ver televisão, extra ao que já gastamos...). Este país desilude-me a cada novo dia, infelizmente, a mim e a mais toda uma geração igual. Já não podemos ser ninguém aqui, ou então podemos, mas só se tivermos muitos conhecimentos benéficos - mas convenhamos, ninguém que se preocupa minimamente com o futuro tem desses conhecimentos. O mau, o que piora esta toda imagem negra, é que olhamos para uma Europa, e para um Mundo, que tem também demasiados problemas.
Cada vez mais me pergunto, onde é que vamos parar?! Já não tínhamos suficientes problemas ecológicos a uma escala global? É preciso também criar uma crise económica global? E isto, só para não encher a cabeça de que além de tudo (que já não é pouco), temos uma grande crise social, que se vai agravando e mostrando e escondendo a cada dia que passa. Só não vê quem não quer.



Mas, parece que chegamos mesmo ao dia derradeiro, em que cada um, porque já ninguém se importa, tem de olhar por si!...

08 January 2012

Deixo a visão do final de tarde de hoje, que me arrebatou!
É hoje que chego para a reflexão. Com os olhos postos não só neste 2011 passado, mas como em tudo que foi ficando ao longo do tempo. É importante olhar para um futuro com a mente completa, não recordar apenas as coisas boas, as melhores, ou as que importam para o amanhã. Temos de assumir todas as nossas atitudes, as decisões que se calhar não foram as melhores, até as que terminaram em erros que se resumem a mágoas. Foi com isto que encarámos, mesmo quando já desejámos há um ano (e muitos mais) ser melhores, ter mais esperança, ser mais felizes.
A vida tem o seu quê de imprevisível, provavelmente todos nós temos uma noção diferente da sua proporção, e sabemos que por muita força que os nossos desejos tenham nunca podemos contar só connosco para o sucesso. Seja positivo ou não, são assim as regras, e ninguém as pode mudar. Mas não quero com isto dizer para deixarmos de olhar as nossas ambições com tanta ou mais vontade do que o que costumamos. É importante saber lutar por elas, não deixar a vontade desvanecer em que momento for, nem que se gaste uma vida inteira a lutar por um sonho que parece sempre inalcançável, não há dúvidas que todo o caminho valerá a pena. Trará as melhores e mais bonitas coisas!

E possivelmente foi aqui que cheguei. Com um sorriso, enorme, que vem a ser construído há muito tempo. Não diria que há memórias que não gostaria de ter; é certo que me custa lembrar de algumas, que penso que se lá voltasse faria de maneira diferente, mas ainda assim, fizeram de mim como sou, um bocadinho mais fria ou independente ou leal, de alguma forma modificaram-me, marcaram-me. E sinceramente, hoje vejo-me como a mulher que não sabia ser - confiante, com vontade de ser sempre melhor, que me aprecio e com muito gosto pela pessoa que sou.
E este ano foi uma conquista enorme, de tal forma, que me fez começar o novo ano com uma vontade única, cheia de nostalgia e amor. Que me faz pensar que estes foram os 365 dias mais rápidos que alguma vez me lembro, os mais intensos! E que me enchem com uma enorme esperança de seguir este caminho, de continuar a viver tão lindamente. Estou óptima :)