04 July 2011

vemo-nos por aí


Vou ser breve, afinal acho que já gastei demasiadas palavras contigo. Mais uma vez chegámos a um impasse, que eu nem sei ao certo como lhe chamar. Criámos demasiadas barreiras entre nós, e o pior de tudo, foi chegar aos encontros perigosos que começámos a ter. Devíamos ter ficado no limiar da segurança e do conforto que tínhamos alcançado. Algures entre as conversas casuais e alguns momentos de nostalgia, que, para mim, foram o melhor que conseguimos ter depois de meses separados e com tantos problemas sentimentalistas.
O facto é este, como um dia te disse, como todas as relações o sabem (ou deviam saber). Nunca voltaremos a ser os mesmos, iguais. Afinal tudo tem um fim, mais próximo ou distante, e nós só temos de aprender a aceitá-lo, e saber lidar com ele da forma mais saudável e pacífica, sem criar buracos demasiado profundos que por vezes se tornam irrecuperáveis.
Por isto, e pelo que aprendi neste longo tempo, tenho que te dizer que um dia vou. Mas vou mesmo. Sem olhar para trás, sem voltar atrás! E tu vais-me deixar ir, sem me tentar puxar e sem insistir para que fique. Porque é isto que as pessoas como nós fazem, vivem-se enquanto têm para se viver, de forma agradável, e no dia que tiver de ser, será. E aí, não há paixão nem vontade maior, maior que aquele respeito com que nos soubemos comprometer no dia que decidimos que íamos ser felizes. Pessoas melhores.
E é isso que nós temos de saber fazer, por nós mesmos. E assim deixo-te as palavras, as melhores que tenho para ti, porque no fim, ainda mereces o melhor de tudo.

1 comment:

Isabella Éclairés Rakonić said...

nice post, love the photos! and you're blog is great! :)

http://thepileofstyle.blogspot.com/ <--- Moi

:*