31 March 2011


O dia de hoje (para mim ainda é quarta-feira) só termina agora. E já vai demasiado longo. Só por causa da maravilhosa aventura que vamos ter amanhã pelas 9h na faculdade, não é K?! Sinceramente acho que estou demasiado calma e feliz apesar de pensar no dia de amanhã, LOL!
Mas de outro modo, acho que tudo se está a encaminhar, o bicho de sete cabeças já não passa de uma simples migalha que daqui a nada já passa.

E, pondo as coisas noutro campo, sinto-me feliz como já tinha saudades, a valer! Uma maravilhosa noite a todos, e espero que o sono me acompanhe até chegar à cama.

29 March 2011


O que houve entre nós, que parece ter acabado há anos, e durado uma eternidade, não sei para onde foi. Não sei como ficaram os sentimentos para o dia de hoje, onde ficou guardado a maioria deles. Mas pondo as coisas como são, sei que uma grande, gigante, parte de mim, ficou para ti. Ou pelo menos, ficou perdida por aí. Nunca mais fui a mesma nesse campo de batalha, nunca mais consegui encarar o futuro como o melhor dos lugares para se partilhar a vida. Simplificando, nunca mais soube gostar de alguém de verdade, com vontade de durar para sempre. Não consigo sonhar nem imaginar filmes cor-de-rosa, em que eu posso ser a princesa mais feliz de todas. Levaste-me a melhor parte de agarrar a vida, ou pelo menos, pelo que me lembro, o que eu sempre achei ser o melhor.
Agora que voltaste, que entrámos outra vez na vida um do outro, agora que me deixaste sem saber como lidar connosco, sem desfazer nada do presente nem do passado, espero que haja um melhor futuro. Pelo menos, que a felicidade do presente nunca se arruíne desnecessariamente por monstros que não têm sentido.
Tinha saudades a sério...

27 March 2011

Acho que se todos os fim-de-semanas fizéssemos coisas destas meus amigos, não éramos infelizes nunca mais! Vocês são o melhor, para todos os momentos. Ly all*

25 March 2011


Acho sinceramente, que nenhum tempo do mundo nos apagaria alguma vez. Mesmo que as lembranças sejam 90% feitas do pensamento, sei que não há nenhum maior capaz de as levar. Todas as lágrimas que por vezes me escorrem, já escorreram, eu senti-as com o maior aperto no peito, porque nada nem ninguém algum dia provocou em mim o mesmo que tu. Tudo que havia para nos cruzar o caminho, de certa forma, acredito que já passou tudo. A despedida, o reencontro, o descobrir, o desejo, a saudade, a paixão, até a raiva. Agora, hoje, consegui lembrar como o passado foi aconchegante, como o passado antes da tempestade era bom, perfeito até diria! Ainda assim, mesmo quando não te queria largar a mão, quando não queria perder o toque, quando queria os teus lábios perto dos meus, eu não te sei dizer para não ires mais. Para ficares comigo. Não sei, e acho que não consigo.
As promessas para a nossa vida, não sei onde estão, onde ficaram. Que existiram, que foram sentidas e sinceras, que nos fizeram acreditar. Sim… E fomos felizes por elas, com elas, por nós os dois juntos. Por um amor que não tinha validade, que era da vida, como da morte. E sei que nunca deixámos de acreditar, de modos diferentes, em tempos trocados, mas algures, o teu sentimento por mim foi tão verdadeiro como o meu por ti. E isso, nunca esqueço.

Queres-lhe dar um nome?

24 March 2011


Tinha saudades, imensas, de tardes destas. Quentes, longas, sossegadas, sem preocupações! O dia foi longo, a companhia sempre do melhor. Agora, agora mesmo, preciso apenas de uma grande noite de sono, de descansar sobre este infinito turbilhão. Apesar de tudo, apesar da vida, há coisas que nunca trocava, que voltava todos os dias para relembrar como foi real e verdadeiro. Como foi feliz. Mas, independentemente, o capítulo fechou, o livro viu-se terminado. E, mesmo a sério, as mesmas linhas nunca vão voltar a ser escritas.

18 March 2011


O sol está imponente, e não há nada melhor que passear pela rua, pela bela cidade que temos para se aproveitar muito. Já tinha saudades de um belo fim-de-semana, que me sentisse renovada de energias e pronta para as mil coisas que hão-de vir. Hoje, é dia da N, já fazia falta. E parece-me que a bela paisagem da ribeira vai ser a nossa adepta preferida para hoje!
Have fun!!

15 March 2011


Deixa-te ir, ser livre. O caminho lá em cima é maravilhoso, por vezes se fechares os olhos já com a noite caída juro que consegues tocar no céu estrelado que está lá só para ti. Deixa-te estar sozinha, ou aliás, deixa-te ser. Só tu. Porque o que realmente vale a pena procura-te, encontra-te quando tu precisas, quando realmente precisas, e faz-te sentir uma mulher de verdade, independente e feliz por ti mesma. E isto, juro-te, é o melhor caminho para seres inteira!

14 March 2011

Acreditando ou não, ficámos assim. Seguimos pela frente um do outro, por caminhos cruzados mas que acabam separados. E assim fomos, com a ausência de sorrisos e palavras carinhosas, mas fomos.
E agora, depois da "derrota", da "chapada de luva branca" da vida, é mais uma vez erguer a cabeça como ganhei hábito nos últimos meses. É tornar-me feliz por mim mesma, mostrar-me orgulhosa e ambiciosa pelas conquistas, passadas e futuras. Agora é olhar pelas boas coisas, pelo que realmente pode ter sentido, não só hoje e amanhã, mas a longo prazo, porque é exactamente para aí que caminhamos.
E, mais uma vez, obrigada por quem me esticou a mão, por quem não me largou na hora, por quem me fez cumprir promessas. Por quem me faz feliz todos os dias.

10 March 2011


Sweet, sweetest nineteen!! *

07 March 2011


Prometeste-te a não sofrer mais, nem com ele nem com mais nenhum. Juraste que não deitavas mais lágrimas, não te deixavas levar mais para onde não sabes sair por vontade própria. Disseste-me, com toda a certeza do mundo, que nem mais te passava pela cabeça voltar a acreditar tanto em alguém. Eu apoiei-te, porque tive quase tanta certeza como tu que era essa a opção mais correcta, a mais positiva de todas, e a que tinhas menos a perder e mais a ganhar. Entraste no novo capítulo. Aliás, falando metaforicamente correcto, estavas num novo livro. E eu juro chegar a ver-te, algures, realmente feliz assim... Mas um dia, como todos esses dias costumam chegar, trazias mais qualquer coisa contigo, não era? Eu bem te queria segurar, fazer-te escolher entre a razão e o coração, mas de alguma forma isso acaba por levar sempre a melhor. E eu deixei-te ir.
Agora, a única coisa que tenho para te dizer, é sê forte. Deixa-te ser a mulher que és. Não te deixes levar pelos medos habituais, faz-te dona da tua "realidade", e não te deixes desacreditar de todos os teus novos sonhos, se de algum forma eles existem, é porque realmente alguém te deu a existência deles.

06 March 2011


Fico ansiosamente a contar os dias, por uma nova etapa, por mais uma conquista, que certamente superará em tudo, o passado.
Feliz Domingo, eu volto*

02 March 2011



Este feliz mês de Março é recheado, completíssimo com 31 dias, de que faz parte um grande dia que já está em contagem decrescente! Bem, mas hoje em especial, venho dedicar-me à minha querida revista mensal, que comemorou ontem, dia 1, o seu quinto aniversário, e que me acompanha todos os momentos desde Agosto.
Hoje, quando a abri e li o editorial juro que tive de juntar todas as minhas forças para conter as lágrimas, para não as deixar deslizar pela cara abaixo. Recomendo a todas as mulheres que este mês não se esqueçam de o ler, porque foi simplesmente fascinante. Além das palavras da directora, que são um testemunho que realmente deixa-nos a pensar na vida, ela traz-nos um brilhante Shakespeare, no seu melhor.
Sinceramente, sinto que a minha vida tem muitos bons motivos inspiradores para correr e seguir o seu rumo o melhor possível daqui para a frente. Obrigada!


Depois de algum tempo aprendemos a diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. Aprendemos que amar não significa apoiar-nos e que companhia nem sempre significa segurança. Aprendemos que beijos não são contratos e presentes, não são promessas. E começamos a aceitar as derrotas com a cabeça erguida.
Aprendemos a construir a nossa estrada no hoje, porque o amanhã é incerto... Depois de algum tempo aprendemos que o sol queima se ficarmos expostos por muito tempo. E aprendemos que não importa o quanto nós nos importamos, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceitamos que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-nos de vez em quando e precisamos perdoá-la por isso.
Aprendemos que falar pode aliviar as nossas dores emocionais. Descobrimos que levamos anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que podemos fazer coisas num instante, das quais nos podemos arrepender o resto da vida.
Aprendemos que as verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que temos na vida, mas quem temos na vida. E que os amigos são a família que nos permitiram escolher. Percebemos que as pessoas que mais amamos na vida são levadas de nós muito depressa, por isso devemos deixá-las sempre com palavras de afecto, porque pode ser a última vez que as vemos.
Descobrimos que levamos muito tempo para nos tornarmos na pessoa que queremos ser, mas que o tempo é curto. Aprendemos que não importa onde já chegamos, mas para onde vamos, e se soubermos isso, qualquer lugar serve. Aprendemos que, ou controlamos as nossas acções ou elas acabam a controlar-nos. E que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, porque em todas as situações existem sempre dois lados.
Aprendemos que paciência requer muita prática. Descobrimos que algumas vezes as pessoas de que menos esperamos são aquelas que nos estendem a mão e ajudam a levantar quando caímos.
Descobrimos que só porque alguém não nos ama da forma que nós gostaríamos, isso não significa que esse alguém não nos ame com tudo o que pode. Aprendemos que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes temos que perdoar-nos a nós próprios. Aprendemos que não importa em quantos pedaços o nosso coração foi partido, o mundo não pára para que o possamos consertar. Aprendemos que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Aprendemos que somos realmente fortes. E que a vida tem muito valor e que nós temos muito valor perante a vida!




"Remembering that I'll be dead soon is the most important thing I've ever encountered to help me make the big choices in life, because almost everything--all external expectations, all pride, all fear of embarrassment or failure--these things just fall away in the face of death, leaving only what is truly important. Remembering that you are going to die is the best way I know to avoid the trap of thinking you have something to lose. You are already naked. There is no reason not to follow your heart."
(...)
"No one wants to die, even people who want to go to Heaven don't want to die to get there, and yet, death is the destination we all share. No one has ever escaped it. And that is as it should be, because death is very likely the single best invention of life. It's life's change agent; it clears out the old to make way for the new. right now, the new is you. But someday, not too long from now, you will gradually become the old and be cleared away. Sorry to be so dramatic, but it's quite true. Your time is limited, so don't waste it living someone else's life. Don't be trapped by dogma, which is living with the results of other people's thinking. Don't let the noise of others' opinions drown out your own inner voice, heart and intuition. They somehow already know what you truly want to become. Everything else is secondary."
(...)
"On the back cover of their final issue was a photograph of an early morning country road, the kind you might find yourself hitchhiking on if you were so adventurous. Beneath were the words, "Stay hungry, stay foolish." It was their farewell message as they signed off. "Stay hungry, stay foolish." And I have always wished that for myself, and now, as you graduate to begin anew, I wish that for you. Stay hungry, stay foolish."


E isto é ao que eu chamo de momento mais inspirador da minha vida, que me acompanhará em todos os dias, nos piores e nos melhores, porque de certa forma eu senti-me uma contemplada por este maravilhoso discurso! Obrigada Steve Jobs, e boa sorte, porque o que quer que seja que venha, certamente leva algo melhor e deixou algo grandioso*