31 October 2010


O importante, o que realmente importa no meio da questão, é não deixar de acreditar. É continuar a lutar contra todos os maus momentos, os que parecem impossível de passar e que parece que nunca vão desaparecer. Isto, no meio de tudo, é o fundamental para se conseguir viver plenamente na busca do que desejamos para o futuro. Um melhor, e bem mais confortável, do que o presente propriamente dito.
Bom Halloween por aí *

23 October 2010


Esta semana foi longa. E a que se avizinha parece que vai ser igualmente dura.
Só queria que fosse tudo simples, como tudo parecia quando éramos crianças. Que saudades dessas vidas!

13 October 2010


Nem tudo o que dura é sinal de estabilidade, ou eternidade, e isso ensinou-mo a vida.
Não vou dizer que sempre fui correcta, e que nunca ninguém sofreu por atitudes minhas. Afinal, se calhar mais do que qualquer outro alguém que já passou na minha vida, o exemplo de que nem mesmo tudo que parece é, foi comprovado por mim. Noutras circunstâncias, provavelmente, nunca falaria disto a ninguém e envergonhava-me de que alguém o soubesse, mas estou numa boa fase. Numa fase nova, posso até dizer, num capítulo novo, e os problemas de identidade já passaram há muito, e a verdade é que aquilo que já fiz, faz e fará parte de mim, mesmo que há muito tempo, e há-de ser sempre marco da minha história.
Falta-me muita segurança em mim mesma, e não é por falta de apoio, nem por falta de encorajamento. É uma questão pessoal, se calhar um medo de sempre, e que me persegue várias vezes em todas as situações possíveis. Desejo mesmo que tudo passe. Que não me abale tanto como costuma e me deixa tremida à beira das situações mais importantes na minha vida!
Preciso muito de uma ocupação, de uma distracção e de algo que não me dê tempo para pensar em coisas que não me alegram o ego nem a alma.

E (também) aquilo que nunca pareceu destinado, que acontece do dia para a noite, que surge numa história que ninguém conhece ou imaginou, não significa que não vai permanecer. Eu acredito na eternidade das coisas que são construídas com verdade e sentimento! Daquilo que melhor sinto.

12 October 2010


O dia de hoje custou a começar, o sono estava a ser bem mais forte que eu juro, mas lá tive de conseguir. E lá rumei para o meu sítio de estima deste ano, Campo Alegre. Ainda assim não presenteei nenhum professor meu com a minha presença, mas hoje senti saudades daqueles movimentos matinais, de correria para o autocarro, do ritmo das aulas que ao fim de uma semana já aborrece, mas faz muita falta! Posso dizer que é a minha última oportunidade e que eu vou aproveitar bem todos os restantes dias. E claro sem esquecer, tive a sorte de um almoço com dois amiguinhos! Tudo se está a compor, e a chegar onde eu sonhava. E daqui a nada, posso finalmente considerar-me uma verdadeira estudante da faculdade!
E agora, boa noite.

11 October 2010


Bom dia!!

Bem apesar de a noite de sono não ter sido longa, graças às mil e umas voltas que dei, consegui acordar renovada. Consegui descansar sobre o problema que me persegue há imensos dias, e como alguém muito especial me disse, reflectindo, daqui a 5 anos eu sem dúvida alguma imagino-me na luta pela carreira que tanto quero, com toda a certeza que me posso dedicar totalmente para o resto dos meus dias e não hei-de acabar insatisfeita em nenhuma vez.


E hoje é o dia dos 40, parabéns Pai!

09 October 2010


Para que importa arranjar significados à vida quando devia ser ela, por si mesma, a dar-nos os verdadeiros significados da nossa existência. A razão do porquê de aqui estarmos, de lutarmos por certos tipos de coisas que nem todos lutam, de escolhermos alguém para nos acompanhar nos bons e maus momentos. O porquê de fazermos estas escolhas, quando até há momentos que parecem não as conseguirmos controlar, são um pouco instintivas.
E quando somos nós próprios a impor-nos os significados que desejávamos, os propósitos das nossas vidas, mesmo esses saem tão diferentes, por vezes tão errados. Devíamos ter um manual de sobrevivência consoante crescemos na vida, enquanto mudam os tempos, as pessoas e os ambientes onde estamos.
Se calhar é só uma teoria estúpida, mas acredito que conseguiríamos todos arranjar uma forma de sermos mais felizes, mesmo que houvessem regras que não sabíamos que tínhamos de seguir, ou desistências que não sabíamos se íamos conseguir ultrapassar.

Como é que escolhemos as coisas, como é que as separamos por categorias e valores na nossa vida? Como é que aprendemos o quanto, ou quando, devemos sacrificar-nos por alguém? Ou por ninguém? Como é que podemos fazer todas estas coisas para não nos arrependermos nunca?
A vida torna-se demasiado curta para os que vivem agarrados a arrependimentos, a mudanças que nunca ocorreram no passado, e precisavam delas para conseguir viver no presente.
Vivo agarrada a tantas questões que nunca sei por quais hei-de optar. Que nunca sei quando vai correr bem. Ou correr mal.

p.s.: Odeio sábados destes.


As compras já estão feitas, pelo menos por agora. Umas botas novas bem quentinhas, e uns brincos que já andava a desejar há muito.
Quanto aos estudos ainda não começaram, mas não passam desta tarde; há uma vaga certíssima à minha espera para a 3ª fase. Finalmente uma boa notícia, ou antes óptima, para me animar este fim-de-semana!
Boa tarde de sábado.

07 October 2010


Só digo que nunca queria ter saído daquela maravilhosa terça à tarde, era dia para durar para sempre. O que vale é que já estou de fim-de-semana hoje, mas mal posso esperar pelo sábado e pelo domingo, que têm sempre um aconchego diferente.
Agora acho que os meus planos brevemente não passam por muito mais do que uns belos estudos, e se possível, umas breves comprinhas que hoje bem me deliciei pelas lojas!
Ah, e umas boas leituras que estão mesmo a fazer falta! Boa noite.

05 October 2010


É altura de me entender com a vida, de fazer pazes com os meus sonhos e com os meus planos e fazer uma escolha que marcará para sempre. Já nem eu sei o que quero afinal, mas estou cansada de tentar compensar os outros por algo que não lhes diz respeito propriamente. Estou farta de agrados; mas quais agrados?! Agrados de quê? Não me recordo de ver muitos nos meus últimos dias. São muitos acontecimentos, muitas coisas novas, e que de agradável, não me dizem muito. Não estou à espera de compreensões, afinal, acho que 'ninguém' me devia importar tanto como eu mesma. E eu tenho deixado isso guardado na melhor caixa de papel que tenho. Preciso dum novo rumo, dum novo fôlego e de uma coragem que 'ninguém' me pode oferecer, que eu preciso de conquistar pelas convicções que fazem parte de mim, ou pelo menos, que sempre fizeram. Tenho de escolher, e fazê-lo o mais rápido que possa, depois não vão haver mais hipóteses.
Obrigada ao que me apoia, ao que me sustenta nos meus piores momentos, ao que me afaga as lágrimas que teimam não parar de cair convulsivamente. Que me agarra. Sempre!

03 October 2010


O domingo já está a acabar, e amanhã já é dia de levantar muuuito cedinho e ir rumo à Boavista. Mas para compensar, o fim-de-semana valeu bem a pena, e amanhã a partir da 1.30 já me posso considerar de descanso outra vez.
Se não nos virmos até lá bom feriado, e aos sortudos que ainda têm direito aos dois, bons feriados!

Ah e obrigada Outono por me lembrares que tenho de desempacotar toda a roupa quente por teres chegado tão imponente!