31 December 2010


Façam com que as coisas mais belas da vossa vida sejam ACTOS e não apenas palavras; sejam factos e não apenas desejos.
Boas entradas 2011 *

26 December 2010

Acho que se tentasse contar aqui o meu Natal felicíssimo não conseguia. Foi recheado de prendas do costume: roupas, livros, perfumes, chocolates, entre outras. Mas se eu posso dizer que por um lado foi um Natal que custou mais, que pareceu mais vazio do que os outros, por outro posso dizer que me pareceu super completo. O verdadeiro significado de família, de união. Para os que passei a noite, e para os que ouvi por telefone - mesmo o que está a tantos quilómetros de distância.

Este Natal foi diferente, este ano vai ser diferente. Desde que criei este cantinho, um suposto novo lugar para uma nova etapa que iria ser óptima, nada foi como esperado. Em quase todos os aspectos a minha vida sofreu altos e baixos com que não contava, mas felizmente posso dizer que ainda bem que aqui cheguei. Este lugar foi um novo começo de vida, sem dúvida, mudou-me na maneira de pensar, de ver as coisas à minha volta, de encarar que nem tudo que planeamos ocorre, e que para conseguirmos o que queremos devemos desejá-lo com toda a força e não deixar que nada nos trave, em nenhum momento.
Hoje posso dizer que o facto de a minha vida ter sofrido todas estas coisas inesperadas, foi o melhor que me aconteceu! O que havia a chorar foi chorado, e o que havia a aprender, bem... tem vindo a ser aprendido.
Encontrei as melhores partes da minha vida, ou aliás, encontrei uma delas, e tive a confirmação certa das restantes. Nunca vou esquecer como consegui ser feliz no fim de toda a mediocridade, e como vocês fizeram que tudo isto fosse possível.
Sinto-me uma mulher muito mais forte, e sozinha, nunca o teria sido com toda esta garra, com tanta intensidade.Este ano, há umas semanas, hoje, posso-vos dizer que sou mesmo mesmo feliz. E que sinto que tenho toda a vida pela frente.
Espero que o Natal tenha sido óptimo!! *

17 December 2010


Já se ouviu dizer, "ano novo, vida nova", mas este ano, mesmo ainda antes de acabar, acho que me consegui superar a mim mesma e a todas essas superstições que existem.
Depois de uma óptima fase de renovação, de conquista pessoal a todos os níveis emocionais, eu consegui sentir-me ainda melhor, mais feliz e mais completa. Penso que a vida nos surpreende quando menos esperamos, aliás, posso dizê-lo com certeza! Mas nem sempre são más coisas, e quando são as boas, só queremos vivê-las com toda a intensidade e fazer por acreditar que não vai acabar mais.
Nem com todas as palavras do mundo eu conseguia descrever como estou agora, e como é bom viver momentos que já não se esperavam. É bom ser surpreendida todos os dias, e poder acordar e adormecer com um sorriso nos lábios.
É preciso estarmos bem com nós mesmos, para encontrar algo que nos complete ainda mais. Só depois de alcançarmos a plenitude individualmente é que estamos prontos para abraçar uma relação que nos torne melhores ainda. É preciso é não esquecer que o facto de sermos sempre nós mesmos, é que faz de nós a pessoa que somos e gostamos de ser.

p.s. E hoje, oficialmente, as férias são muito bem-vindas. E o Natal já está em contagem decrescente!!

06 December 2010


O frio já começou a apertar, mas este ar natalício que aos poucos nos entra pelas janelas está-me a deixar radiosa. E apesar de toda esta constipação que não me deixa em paz, eu estou sinceramente contente por Dezembro ter chegado. E vou contar dia por dia para o Natal. Nesta altura do ano sinto-me pior que uma criança pequena com vontade de entrar nas lojas todas à procura dos presentes ideais. Estou ansiosa, mal posso esperar! E quando o espírito nem sempre pode estar em cima, pelo menos nesta época não me hei-de desanimar.
E as férias daqui a nada chegam, por isso, aí, nessa altura mesmo, eu hei-de estar melhor que nunca.
Um bom dia!!

02 December 2010


Penso que o importante numa separação não é o processo de reparar nos erros do outro, ou nos nossos, tentar justificar certas atitudes, ou o próprio fim. Acho que o importante mesmo, e que fica marcado não apenas durante o processo de recuperação, mas para a vida, é o facto de nos conhecermos melhor emocionalmente. Fortalecemos as nossas defesas, e aprendemos a gerir futuras relações, quer seja com homens ou com mulheres, amigável ou amorosamente. É assim que construímos a nossa futura identidade, quem vamos ser, e como vamos ser, daqui a muitos anos. O que queremos, ou podemos, contar dos outros. E acabamos por perceber que nem sempre o quadro bonito que pintamos durante o nosso crescimento pode ser concretizado sem algumas tempestades. Já foi assim que fiquei depois de muitos buracos, e certos caminhos falsos que encontrei.
Hoje, agora, a minha forma de ver a minha própria vida já nem é a mesma. Já me consigo distanciar um pouco dos planos a que me proponho, e se devo ou não agir de acordo com eles. Nem todos os sonhos podem ser concretizados, e nem todos os sonhos são meus afinal! Aprendi isto. Se calhar acreditei muito tempo em projecções que não eram minhas, ou pelo menos, não eram essenciais para mim. Adaptaram-se a mim como eu me costumo adaptar à vida. E posso dizer que lamento, afinal não é assim que sou eu mesma. Ou que me posso fazer feliz.
Entrei num novo estado que me sinto equilibrada, melhor. Mais interessada em mim, e no que posso realmente considerar ser meu. E posso afirmar, que visto assim, deste modo, a vida nem sempre parece impossível de ser vivida na primeira pessoa. E há dias, se calhar vários momentos ao longo do dia, que nos podemos dar ao luxo e ao prazer de incluir mais um "eu", ou mais vários "eu" no nosso espaço, e ainda assim, continuarmos a ser nós a decisão número um do nosso destino.

p.s.: obrigada por todas as palavras, por todos os amigos que nunca me deixaram sofrer um momento sozinha!

23 November 2010


Nunca pensei poder vir a orgulhar-me tanto de mim mesma, da minha força, que nada no mundo abala. Mais uma vez, precisei de seguir em frente, caminhar sem ver as pedras que calco, sem pensar como vai ser o dia de amanhã, porque o que eu realmente preciso é o agora, e isso já ninguém me pode tirar. E digo-o, com um sorriso realmente enorme, com um riso irónico que me dá um gozo tão grande, eu estou bem! Estou feliz como não me lembrava de estar, desta maneira tão particular, tão singular e tão espontânea e livre! Podia ficar aqui horas a fio a pensar no que de bom a vida me consegue proporcionar com um pouco de gosto por mim mesma, mas estaria a tirar tempo à minha oportunidade de me estar a divertir fora da rotina que agora se resume a tão poucas míseras horas. Afinal, a saudade, a vontade de viver agarrada com algo "garantido" algo que não deixa de lá estar em nenhum dia, não é tão significativa como o poder estar-se bem, sem ritmos marcados para todos os minutos do dia. É mais que óptimo viver desprendida de horários que são marcados quase como numa escala, em que não pode haver excessos nem descuidos.
Estou-me a sentir quase como se estivesse a entrar de novo na "época" que tantos anos seguidos sonhei e contei mês a mês para chegar. Agora que estou aqui posso dizer que é lindo, é pleno. E agora, agora neste momento, não troco nenhum dos meus minutos por nada diferente. O que estiver para acontecer, é, e o que não for, não será. E o melhor, é que não me importo mais com nada disto.

21 November 2010


É preciso deixar de olhar para os caminhos errados que tomámos e seguir em busca do prazer que a vida nos consegue dar nas épocas mais difíceis que parecem impossíveis de se ultrapassar.
Se virmos bem à nossa volta, conseguimos um equilíbrio fantástico e consistente apenas a viver o nosso dia-a-dia, com o apoio de pessoas que vão surgindo e aquelas que são as de sempre. Se reparamos mesmo bem, vemos que ser mulher é uma das maiores vantagens do mundo, e que só esse simples facto, nos torna maravilhosas, e nos faz ter uma vontade pela vida e pela felicidade única! E isso é algo que ninguém pode abalar, que deve ser conquistado pela força especial de cada uma de nós.
E isto, dear ladies, é mais do que suficiente para nós ficarmos sempre por cima na vida.

18 November 2010


ao que o futuro proporcionar!

14 November 2010


O que é irónico no meio disto tudo, reparem bem, é que não conheço quase mais ninguém assim. Que acredite tanto como eu. Que lute tanto como eu. Que dê tanta importância como eu. Que não goste de silêncios e ausências como eu. É mesmo assim, assim! Ninguém persiste tanto, ninguém promete tanto de si para sempre. Mas acho que é irónico não é? É a força do destino de me arrastar para caminhos que eu não quero, para me mostrar que os meus planos são apenas brinquedos nas mãos do tempo. Já percebemos. Afinal há alguma coisa contra ao ser-se apaixonado?! Ter-se paixão pela vida, pelo melhor que a vida pode oferecer no meio dos maus momentos?
Enfim, acaba por ser irónico mesmo. Acaba por massacrar e destruir o sossego que demora tanto a conquistar-se.
p.s. Se calhar devia-se chamar ironia I

10 November 2010


Devíamos valorizar mais as presenças das pessoas na nossa vida do que reparar e apontar as ausências. Devíamos ser mais maduros e responsáveis quando nos pedem isso, e mesmo quando não pedem, devíamos ser, simplesmente porque íamos ser melhores. Devíamos parar de desiludir quem mais gostamos. E parar de fazer aos outros todas as coisas más por que eles nos fazem passar. Às vezes, quase sempre, essas pessoas querem o nosso melhor e erram sem reparar. É pena aprendermos isto sempre das piores maneiras, já há muito diziam que "só valorizamos quando perdemos", e com muito custo para admitir estas coisas, a verdade é que a razão está é do lado destas frases, intemporais! E está errado, muito errado, pensar que o dia de amanhã é sempre tempo para emendar as asneiras de ontem. Hoje, agora, é o momento exacto para pedirmos desculpa a quem as devemos, para pensar mais antes de agir. E não duvidar que há realmente alguém que merece isto tudo de nós.

06 November 2010


À espera que os tempos mudem, que os ventos mudem, que tudo que está errado se ponha no seu sítio. Eu espero.

02 November 2010

Hoje posso dizer que passei quase um dia inteiro naquela faculdade, meu deus! Como eu odeio entrar às 8.30 e só sair às 7.30... Que dores de cabeça.


Boas noites minha gente, e obrigada pelos últimos comentários. Foi um novo fôlego, uma nova etapa que começou mesmo ontem e há-de durar assim, intensamente feliz. É preciso gostar-se muito do que nos motiva verdadeiramente e, só assim, se consegue ter uma força única. Obrigada minhas ladys*

01 November 2010


Como já disse o importante é nunca deixar o que se acredita, o que sempre foi verdadeiro, porque isso nunca se destrói, nunca acaba. E foi nessas certezas que vivi para chegar aqui, hoje e agora, para poder dizer que o que realmente tem significado, que existe, que brilha mais do que qualquer outra coisa, triunfa sempre em função de tudo o resto. E dura, dura por quanto tempo o quisermos, e se realmente o quisermos crer, fica para sempre, tal como tudo a que podemos chamar de verdade vida!

31 October 2010


O importante, o que realmente importa no meio da questão, é não deixar de acreditar. É continuar a lutar contra todos os maus momentos, os que parecem impossível de passar e que parece que nunca vão desaparecer. Isto, no meio de tudo, é o fundamental para se conseguir viver plenamente na busca do que desejamos para o futuro. Um melhor, e bem mais confortável, do que o presente propriamente dito.
Bom Halloween por aí *

23 October 2010


Esta semana foi longa. E a que se avizinha parece que vai ser igualmente dura.
Só queria que fosse tudo simples, como tudo parecia quando éramos crianças. Que saudades dessas vidas!

13 October 2010


Nem tudo o que dura é sinal de estabilidade, ou eternidade, e isso ensinou-mo a vida.
Não vou dizer que sempre fui correcta, e que nunca ninguém sofreu por atitudes minhas. Afinal, se calhar mais do que qualquer outro alguém que já passou na minha vida, o exemplo de que nem mesmo tudo que parece é, foi comprovado por mim. Noutras circunstâncias, provavelmente, nunca falaria disto a ninguém e envergonhava-me de que alguém o soubesse, mas estou numa boa fase. Numa fase nova, posso até dizer, num capítulo novo, e os problemas de identidade já passaram há muito, e a verdade é que aquilo que já fiz, faz e fará parte de mim, mesmo que há muito tempo, e há-de ser sempre marco da minha história.
Falta-me muita segurança em mim mesma, e não é por falta de apoio, nem por falta de encorajamento. É uma questão pessoal, se calhar um medo de sempre, e que me persegue várias vezes em todas as situações possíveis. Desejo mesmo que tudo passe. Que não me abale tanto como costuma e me deixa tremida à beira das situações mais importantes na minha vida!
Preciso muito de uma ocupação, de uma distracção e de algo que não me dê tempo para pensar em coisas que não me alegram o ego nem a alma.

E (também) aquilo que nunca pareceu destinado, que acontece do dia para a noite, que surge numa história que ninguém conhece ou imaginou, não significa que não vai permanecer. Eu acredito na eternidade das coisas que são construídas com verdade e sentimento! Daquilo que melhor sinto.

12 October 2010


O dia de hoje custou a começar, o sono estava a ser bem mais forte que eu juro, mas lá tive de conseguir. E lá rumei para o meu sítio de estima deste ano, Campo Alegre. Ainda assim não presenteei nenhum professor meu com a minha presença, mas hoje senti saudades daqueles movimentos matinais, de correria para o autocarro, do ritmo das aulas que ao fim de uma semana já aborrece, mas faz muita falta! Posso dizer que é a minha última oportunidade e que eu vou aproveitar bem todos os restantes dias. E claro sem esquecer, tive a sorte de um almoço com dois amiguinhos! Tudo se está a compor, e a chegar onde eu sonhava. E daqui a nada, posso finalmente considerar-me uma verdadeira estudante da faculdade!
E agora, boa noite.

11 October 2010


Bom dia!!

Bem apesar de a noite de sono não ter sido longa, graças às mil e umas voltas que dei, consegui acordar renovada. Consegui descansar sobre o problema que me persegue há imensos dias, e como alguém muito especial me disse, reflectindo, daqui a 5 anos eu sem dúvida alguma imagino-me na luta pela carreira que tanto quero, com toda a certeza que me posso dedicar totalmente para o resto dos meus dias e não hei-de acabar insatisfeita em nenhuma vez.


E hoje é o dia dos 40, parabéns Pai!

09 October 2010


Para que importa arranjar significados à vida quando devia ser ela, por si mesma, a dar-nos os verdadeiros significados da nossa existência. A razão do porquê de aqui estarmos, de lutarmos por certos tipos de coisas que nem todos lutam, de escolhermos alguém para nos acompanhar nos bons e maus momentos. O porquê de fazermos estas escolhas, quando até há momentos que parecem não as conseguirmos controlar, são um pouco instintivas.
E quando somos nós próprios a impor-nos os significados que desejávamos, os propósitos das nossas vidas, mesmo esses saem tão diferentes, por vezes tão errados. Devíamos ter um manual de sobrevivência consoante crescemos na vida, enquanto mudam os tempos, as pessoas e os ambientes onde estamos.
Se calhar é só uma teoria estúpida, mas acredito que conseguiríamos todos arranjar uma forma de sermos mais felizes, mesmo que houvessem regras que não sabíamos que tínhamos de seguir, ou desistências que não sabíamos se íamos conseguir ultrapassar.

Como é que escolhemos as coisas, como é que as separamos por categorias e valores na nossa vida? Como é que aprendemos o quanto, ou quando, devemos sacrificar-nos por alguém? Ou por ninguém? Como é que podemos fazer todas estas coisas para não nos arrependermos nunca?
A vida torna-se demasiado curta para os que vivem agarrados a arrependimentos, a mudanças que nunca ocorreram no passado, e precisavam delas para conseguir viver no presente.
Vivo agarrada a tantas questões que nunca sei por quais hei-de optar. Que nunca sei quando vai correr bem. Ou correr mal.

p.s.: Odeio sábados destes.


As compras já estão feitas, pelo menos por agora. Umas botas novas bem quentinhas, e uns brincos que já andava a desejar há muito.
Quanto aos estudos ainda não começaram, mas não passam desta tarde; há uma vaga certíssima à minha espera para a 3ª fase. Finalmente uma boa notícia, ou antes óptima, para me animar este fim-de-semana!
Boa tarde de sábado.

07 October 2010


Só digo que nunca queria ter saído daquela maravilhosa terça à tarde, era dia para durar para sempre. O que vale é que já estou de fim-de-semana hoje, mas mal posso esperar pelo sábado e pelo domingo, que têm sempre um aconchego diferente.
Agora acho que os meus planos brevemente não passam por muito mais do que uns belos estudos, e se possível, umas breves comprinhas que hoje bem me deliciei pelas lojas!
Ah, e umas boas leituras que estão mesmo a fazer falta! Boa noite.

05 October 2010


É altura de me entender com a vida, de fazer pazes com os meus sonhos e com os meus planos e fazer uma escolha que marcará para sempre. Já nem eu sei o que quero afinal, mas estou cansada de tentar compensar os outros por algo que não lhes diz respeito propriamente. Estou farta de agrados; mas quais agrados?! Agrados de quê? Não me recordo de ver muitos nos meus últimos dias. São muitos acontecimentos, muitas coisas novas, e que de agradável, não me dizem muito. Não estou à espera de compreensões, afinal, acho que 'ninguém' me devia importar tanto como eu mesma. E eu tenho deixado isso guardado na melhor caixa de papel que tenho. Preciso dum novo rumo, dum novo fôlego e de uma coragem que 'ninguém' me pode oferecer, que eu preciso de conquistar pelas convicções que fazem parte de mim, ou pelo menos, que sempre fizeram. Tenho de escolher, e fazê-lo o mais rápido que possa, depois não vão haver mais hipóteses.
Obrigada ao que me apoia, ao que me sustenta nos meus piores momentos, ao que me afaga as lágrimas que teimam não parar de cair convulsivamente. Que me agarra. Sempre!

03 October 2010


O domingo já está a acabar, e amanhã já é dia de levantar muuuito cedinho e ir rumo à Boavista. Mas para compensar, o fim-de-semana valeu bem a pena, e amanhã a partir da 1.30 já me posso considerar de descanso outra vez.
Se não nos virmos até lá bom feriado, e aos sortudos que ainda têm direito aos dois, bons feriados!

Ah e obrigada Outono por me lembrares que tenho de desempacotar toda a roupa quente por teres chegado tão imponente!

30 September 2010


O stress dos dias de aulas já me consumiu. Claro! Com tanta hora perdida na faculdade só porque alguns dos meus queridos novos colegas chegam lá como se fossem para a fila do supermercado e, claro, aqui a paciência em pessoa que aguarde com um sorriso na cara. Já estou cansada e ainda nem começou a sério. Só peço, cooperem no bom funcionamento das coisas, por favor.
Enfim, mas acho que o novo percurso vai começar, e como tal, só desejo que corra tudo pelo melhor.

Bom fim-de-semana, não prometo voltar até para a semana!

29 September 2010


Nova vida, nova faculdade, novos dias hão-de vir! Finalmente posso respirar fundo e dizer que sim, a minha nova etapa vai começar.
Ainda assim, a nova aventura só começa para a semana, ainda tenho os últimos dias de férias. Boa noite, e estou muito muito mais feliz do que me lembro das últimas ocasiões!

28 September 2010


Continuo a ver os minutos passarem, um após o outro, a ansiedade a comer-me as entranhas e a vontade de festejar, porque superstição ou não, tudo isto é muito estranho. E tudo isto me assusta, sem saber o que fazer, nem pensar. Só queria que esta fosse a minha oportunidade, a minha vez! E se for só à meia noite, até lá vou ter um tempo de espera muito difícil.
Bem haja à Fox Life: 21:25h Brothers & Sisters; 22:15h The Good Wife; 23:05h Private Practice; 23:55h Melrose Place.

Vou aguardando!

27 September 2010


Diria que hoje é o último dia de 'sofrimento', a última noite que durmo sem saber como vai ser o meu dia amanhã. Nunca me fartei tanto de estar de férias. E juro, é aflitivo chegar o dia de irmos para a faculdade e parecer que tudo está errado à nossa volta, quando se calhar a única coisa errada que foi feita foi nós termos feito aquela escolha.
Mas como já disse a todos que me têm aturado nestes dias, que me apoiam incansavelmente nos meus 'down moments', eu estou bem. Eu ganhei força para encarar o futuro, e conquistá-lo da melhor forma possível, seja ele qual seja.
Sou uma pessoa cheia de sonhos, cheia de gostos diferentes, e não me devia privar das oportunidades que tenho pelas que não consigo alcançar. E só lamento não ter conseguido ter este discernimento na altura necessária. Mas como em muitas coisas na vida, estamos aqui para aprender com os nossos erros, e raramente são as vezes que não temos a oportunidade de uma segunda hipótese para remendamos o mal que fizemos.
Obrigada aos que sabem que têm sido melhores que mais ninguém no mundo. Toda esta coragem e força não é simplesmente espontânea.

26 September 2010


Next trip: New York
Na melhor companhia!

p.s. claro, sem esquecer, sem data definida.

25 September 2010


Tenho a esperança que este seja o último fim-de-semana em que me posso auto-declarar de férias. Já é dia 29 que saem oficialmente os segundos resultados, os quais eu desejo, do fundo do coração, serem bem mais promissores. Vou aproveitar estes dois dias, que praticamente começaram ontem à noite, para me divertir, para sair deste estado meio melancólico e deprimido em que me tenho sentido sem saber o que fazer à minha vida. Ontem à noite senti-me muito bem, o Step Up 3D é mais uma boa amostra do que a música consegue fazer a uma pessoa. Recomendo-o vivamente! Bom sábado, e quem sabe, bom domingo. Vou-me conseguir libertar deste mundo virtual que me tem agarrado todos os dias e respirar o ar puro que corre lá fora.
Claramente ao lado da melhor pessoa do mundo!

24 September 2010


Eu estou numa fase nova da minha vida, não apenas a nível de 'carreira', cheio de escolhas difíceis, com momentos insuportáveis de saber lidar, mas como a nível pessoal. Encontrei um limite para mim, uma maneira de estar bem todos os dias, em alguma hora do dia pelo menos. Fiz uma escolha que se calhar ninguém nesta fase estava disposto, que se calhar ninguém percebe as melhores razões, ou sequer a minha credibilidade de viver com isso. Eu optei por me viver a mim! A mim duma forma nova, duma forma saudável que dá novos contornos aos meus objectivos, que me dá força para ser feliz e encarar os meus monstros quando eles são quase maiores que eu. E quando eu digo, que escolhi viver por mim, não digo que me tornei egocêntrica, sem precisar de mais ninguém, muito pelo contrário. Descobri que nunca precisei tanto de carinho como agora, de um amor que eu possa sentir que me enche o coração e alma, dos pés à cabeça, e que me faz viver sempre que possível, todos os dias em volta do mesmo. Se pudesse comprava agora uma casa só minha, em que entrasse apenas lá comigo quem nós sabemos, 24 horas por dia, todos todos os dias. Sem nunca me cansar. Encontrei um amigo, um namorado, uma segurança e um futuro numa só pessoa, e isso é o que me realiza todos os dias, para adormecer e acordar todos os dias feliz! E por muito que me possam julgar por essa minha escolha e minha entrega, eu aprendi a sentir só por mim, sem que os outros 'saibam mais que eu da minha vida'. E se eu consigo acreditar no para sempre, melhor que todos os outros, vou desfrutá-lo diariamente.

E estou bem!

23 September 2010


Deixei de lhe chamar presente. Porque foi o que ela deixou de ser na minha vida. Já nem sei bem há quanto tempo. Nem sei realmente quando é que ela o foi a última vez. E nem me lembro como era quando foi.
Será sempre passado na minha vida, disso eu tenho a certeza, nenhuma dor, nem nenhuma desilusão o pode negar. Isso está intacto, como a verdade mais verdadeira de todas. Nunca saberei se pode ser futuro. Nem ela deve pensar nisso. Mas o presente está proibido, como um castigo severo que é consequência de todas as más escolhas na nossa vida.
O nosso passado dava um livro, daqueles que é preenchido por inúmeros capítulos, que começam e acabam sempre de maneira diferente, com temas muito variados. Um livro daqueles que quando lemos a primeira vez, queremos insistentemente ler outra vez, outra vez, e outra vez. Sem saber quando o vício se acaba. Um livro que nos marca pela presença familiar que tem na nossa história, em qualquer idade ou em qualquer lugar. O livro que nós queremos apresentar aos nossos filhos como um exemplo de vida, e que guardamos debaixo do travesseiro para poder devanear com ele. Eu juro, seria um livro fantástico.
O essencial que havia nisto tudo eram os valores e os sentimentos que carregávamos connosco. Em todas as memórias que existem, eles estavam lá presentes. Anos somados com anos, que dão quase no total uma vida completa. Conseguia ser mais forte, mais real e mais vivenciado que uma relação unida pelo sangue.
É inacreditável como o destino 'prega partidas', nos desaloja do nosso melhor lar e nos tira o único porto de abrigo que julgávamos eterno.

Nunca devíamos fazer promessas que não estamos dispostos a cumprir; há um bocado de nós que se perde, para sempre, quando faltamos ou nos faltam, com a palavra.

22 September 2010


Esta semana está a ser mais longa da minha vida, estou cansada de estar em casa sem objectivos. Sem certezas do que vai acontecer. Quase posso dizer que esperei anos por esta época da minha vida, por esta oportunidade. E da maneira mais irresponsável consegui praticamente destruir as minhas hipóteses.
Mas como sempre me prometi, vou seguir os meus sonhos. Lutar pelos meus objectivos, e tentar cumprir todas as minhas 'normas'. E hei-de conseguir alcançar o futuro que mais desejo.
Sempre soube que a vida não se cansa de pregar partidas, só não esperava chegar a este limbo. De andar a saltar entre altos e baixos, com receio do que vou descobrir amanhã, sem certeza da decisão que tenho de tomar; de chegar ao ponto de não saber escolher uma ordem.
Enfim, tudo chega a algum lado, e eu só desejo que esse seja o melhor.
Bom dia.

19 September 2010


Achei melhor arranjar um novo lugar, um novo aconchego para o ano que se avizinha e que eu chamaria como o começo de tudo que há para vir. Amanhã há-de ser um dia cheio de coisas boas. Por todos os aspectos e mais alguns. Bom dia!